Iniciativas

Criação do centro de investigação em energia ren-state grid

Em fevereiro de 2013, a REN - Redes Energéticas Nacionais assinou um acordo com o CEPRI8 - China Electric Power Research Institute (em representação da State Grid International Development), para a constituição de um centro de investigação e desenvolvimento em Portugal, dedicado à área da energia.

Em maio foi formalmente criada a empresa Centro de Investigação em Energia REN-State Grid, S.A. e em junho, numa cerimonia pública, foi apresentada a marca do novo Centro de Investigação e Desenvolvimento em Energia – R&D Nester e respetivo website.

O centro, que contará com a colaboração de universidades de prestígio no setor da energia, indústria local e instituições de I&D internacionais, pretende tornar-se uma plataforma de conhecimento internacional de desenvolvimento de soluções e ferramentas inovadoras aplicadas à operação e planeamento das redes de transporte de energia, nomeadamente em quatro áreas: simulação de sistemas de energia; gestão da integração em redes de fontes de energia renovável; tecnologias para redes inteligentes; e economia e mercados de energia

Desde julho que o Nester tem as suas atividades em curso, e conta já com uma equipa de 14 colaboradores de nacionalidades portuguesa e chinesa.

Centrada no desenvolvimento e gestão de projetos inovadores no setor energético, a atual equipa, liderada por Nuno Souza e Silva, integra cinco investigadores a tempo inteiro e cinco a tempo parcial, afetos ao desenvolvimento, de quatro projetos já em curso:

 REN_img_1

8 O CEPRI, criado em 1951, é um Instituto de investigação filiado à State Grid Corporation of China. Até final de julho de 2008, o CEPRI tinha 3.227 trabalhadores no total, incluindo 2.344 engenheiros, 151 funcionários com doutoramentos, 853 com mestrado, 98 bolseiros de investigação em engenharia, 373 engenheiros e 17  upervisores de doutoramentos.

Investimento em i&d e candidaturas a programas de incentivos fiscais

Como medida altamente identificável na estratégia da empresa, a REN prossegue com atividades na área de I&D e com o desenvolvimento e implementação de novos projetos como uma alavanca no encontro de soluções prontas para o exercício pleno da atividade da empresa. 

Em resultado das atividades e projetos desenvolvidos, foram publicados diversos artigos científicos e/ou efetuadas comunicações, tendo-se também participado ativamente em conferências internacionais e em inúmeros grupos de trabalho de organizações e associações sobre assuntos vanguardistas e em fóruns de debate nomeadamente para o setor de eletricidade e gás.

No âmbito das atividades de I&D desenvolvidas, e à semelhança de anos anteriores, o Grupo REN submeteu três candidaturas ao programa de financiamento SIFIDE (Sistema de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial), respeitante às atividades de I&D que decorreram durante o exercício fiscal de 2012 nas empresas REN-Rede Eléctrica Nacional, REN Gasodutos e REN Serviços.

Neste contexto, foram identificados 17 projetos de I&D, representando um investimento para a empresa na ordem dos 0,9 milhões de euros. São projetos de âmbito nacional e europeu, visando sempre novas soluções diferenciadoras com impacto no desempenho das redes energéticas e que contou com a participação de um n.º elevado de colaboradores nas mais diversas funções. Destacam-se quatro projetos que foram, pela primeira vez, alvo de candidatura a este programa de financiamento, tendo sido avaliados pela comissão certificadora do SIFIDE
como elegíveis em matéria de I&D. 

A nível internacional e no âmbito do 7.º Programa Quadro:
1 ) Projeto e-Highway2050 - European Electricity Highway System 2050 - Aprovado em 2012 pela Comissão Europeia e com uma duração prevista de tês anos, tem por objetivo desenvolver as bases de uma expansão modular e robusta das redes pan-europeias de transmissão de energia elétrica entre 2020 e 2050, atentos aos três pilares da política energética europeia.

2) Projeto iTESLA - Innovative Tools for Electrical System security within Large Areas 
- Tem por objetivo desenvolver e validar uma toolbox flexível que, no horizonte 2015, permita apoiar a futura operação das redes pan-europeias de transmissão de energia elétrica, promovendo o aumento da coordenação/harmonização dos procedimentos de operação entre os operadores das redes.Com inicio em 2012, estima-se a sua conclusão em 2015.

A nível Nacional:
3) Na área de planeamento de redes de transporte de electricidade, o Projeto REN_EECT - Estudo de estabilidade transitória e de controlo de tensão da RNT no horizonte 2014, decorreu durante o ano 2012 em parceria com o INESC Porto. Teve como questões centrais a garantia de segurança e de estabilidade da RNT e a necessidade de proporcionar condições para a ligação de novos centros eletroprodutores eólicos. Nesse sentido, no projeto avaliou-se a necessidade da colocação de uma classe específica de dispositivos FACTS (Flexible AC Transmission Systems) sobre a RNT. Estes dispositivos permitem controlar a tensão e suportar potência reativa em regime permanente, bem como prestar um suporte de tensão na sequência de curto-circuitos que possam ocorrer na RNT. Desta forma é possível reduzir ou evitar cortes de potência eólica e contribuir para a melhoria das condições de estabilidade da rede.

4) Na área de gestão de ativos das redes de transportes de gás, iniciou-se em 2012 o Projeto REN-MICPC - Modelo para injeção de corrente em sistema de proteção catódica, com vista ao desenvolvimento de um modelo matemático para controlar em tempo real toda a infraestrutura da RNTGN, visando optimizar o sistema de proteção catódica, prevendo e antecipando pontos de corrosão. Prevê-se que este projeto tenha a duração de quatro anos. 

Em 2013 a REN procedeu à refundação e alargamento do Prémio REN, tendo para o efeito realizado um roadshow de apresentação do novo regulamento, em seis instituições de prestígio científico e académico, designadamente Instituto Superior Técnico, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, Instituto Superior de Economia e Gestão, Instituto Superior de Engenharia de Lisboa e Programa MIT Portugal.

Volvidos cerca de 18 anos desde o início do Prémio REN, a empresa decidiu refundá-lo no sentido de renovar a aposta na inovação dos sistemas de energia, assim como abranger candidatos provenientes de um espectro mais alargado de áreas. Desta forma, a nova edição do Prémio REN resultará seguramente num processo mais participado, mas também mais diversificado tematicamente.

Para sedimentar a nova edição do Prémio REN, foi constituído um novo júri e o regulamento foi atualizado. Como é apanágio da REN, a ligação ao sistema científico e tecnológico português assume uma importância estratégica, materializada na elevada qualidade dos membros do júri deste prémio. Espera-se que, uma vez mais, a qualidade do ensino superior em Portugal se vá refletir na qualidade dos trabalhos apresentados.

Parcerias com instituições de i&d

Como tem sido hábito, faz da parte da política da REN o desenvolvimento de projetos em parceria com instituições académicas e organismos de I&D nacionais e/ou internacionais, nomeadamente com entidades reconhecidas pelo Sistema Científico e Tecnológico Nacional (SCTN), conseguindo-se assim uma salutar partilha de experiências e know-how entre o meio empresarial e o académico.

A exemplo disso, durante 2012 estabeleceu-se uma parceria com o INESC Porto (Projeto REN_EECT - Estudo de Estabilidade Transitória e de Controlo de Tensão da RNT no Horizonte 2014; Projeto REN_RNT- Recepção de potência nos nós da RNT), com o IST – Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa (Projeto REN - Smart DIP, Previsão estocástica da magnitude e duração de cavas de tensão em redes de transporte de energia eléctrica), com a FFUL - Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (Projeto REN-CEM campos electromagnéticos) e com o Instituto Superior Técnico, da Universidade de Aveiro (Projeto RENPPE previsão da produção eólica).

Colaboração em programas nacionais e internacionais no âmbito
da i&d e da inovação

Em 2013, a REN manteve o seu empenhamento no sucesso do EnergyIN (Pólo de
Competitividade e Tecnologia da Energia), tendo reeleito o seu representante para o respetivo Conselho Diretivo. 

No âmbito da participação da REN como associada da COTEC Portugal9 - Associação
Empresarial para a Inovação, no decurso do ano transato, destaca-se a representação da empresa no encontro ibérico da COTEC, realizado em Madrid, e a participação numa das últimas iniciativas promovidas por esta associação na área de gestão de conhecimento. Este projeto segue o modelo de uma comunidade de práticas que tem como objetivos principais potenciar a partilha de informação sobre um domínio crítico na gestão da inovação e iniciar uma nova forma de relacionamento entre a associação e os seus associados. 

Nesta temática e a nível europeu, a REN continua com uma participação ativa na ENTSO-E, nomeadamente como membro do Reaserch and Developemnt Comitee (RDC) e do respetivo Working Group - MKS (Monitoring and Knowledge Sharing).

9 Associação sem fins lucrativos que tem como principal missão «promover o aumento da competitividade das empresas localizadas em Portugal, através do desenvolvimento e difusão de uma cultura e de uma prática de inovação, bem como do conhecimento residente no país».

Participação em grupos de trabalho internacionais

ENTSO’s

A implementação do terceiro pacote legislativo da UE sobre o setor energético tem continuado a exigir uma intensa presença e cooperação da REN junto das associações europeias dos operadores de redes de transporte (ENTSO-E e ENTSO-G), nomeadamente mediante a participação dos seus quadros nas mais variadas atividades destas duas entidades.

Entso-e (european network of transmission system operators for electricity):
No quadro do Regulamento (CE) 714/2009, a REN tem prosseguido a sua participação nas atividades da associação europeia dos operadores de redes de transporte de eletricidade (ENTSO-E), designadamente pela presença constante e ativa nos vários comités e grupos desta instituição: System Development Committee, System Operations Committee, Market Committee, Research and Development Committee e Legal and Regulatory Group. Em particular, refere-se que a REN assumiu a presidência do referido System Development Committee em junho de 2013. Adicionalmente tem também prosseguido a sua colaboração na intensa elaboração dos dez códigos de rede europeus nas áreas de planeamento, operação e mercados, tanto no comentário às linhas orientadoras que provêm do ACER como na redação dos referidos códigos. Como realizações mais importantes destacam-se a entrega na Comissão Europeia de três códigos para comitologia: Alocação de Capacidades e Gestão de Congestionamentos (CACM NC), Requisitos para a Ligação de Geradores (RfG NC) e para a Ligação de Consumidores (DCC).

Em paralelo, e no seguimento do trabalho que desenvolve na ENTSO-E, a REN deu continuidade ao seu papel pioneiro entre os seus pares europeus na divulgação dos códigos de rede elétricos junto dos diversos stakeholders nacionais e regionais, dinamizando e organizando sessões de trabalho e workshops destinados à divulgação e esclarecimento do conteúdo dos códigos que se encontram na fase final da sua redação. Refira-se que em 2013 foram realizadas sessões sobre os códigos de Alocação de Capacidade a Prazo (NC FCA), Equilíbrio Elétrico (NC EB) e de Operação sobre Reservas (NC LFCR), estando assim concluídas oito sessões de um total de 10 códigos previstos.

Entso-g (European Network of Transmission System Operators for Gas):
A associação europeia dos operadores de redes de transporte de gás natural – ENTSO-G – continuou a sua intensa atividade durante o ano de 2013 através dos grupos de trabalho que integram as suas três áreas de negócio principais, designadamente Market, System Development e System Operation. Como realizações mais importantes destacam-se a publicação em jornal oficial do Código de Rede dos Mecanismos de Atribuição de Capacidade (CAM NC) e a aprovação do Código de Rede de Balanço / compensação do equilíbrio das redes de transporte de gás (BAL NC), que em breve será oficialmente publicado.

Refira-se ainda que a REN reforçou a sua participação na ENTSO-G. Tem agora presença regular no Liaison Group e na Legal Team da associação, grupos de trabalho através dos quais participa no tratamento transversal e jurídico dos principais temas da política energética europeia que têm impactos junto dos operadores das redes de transporte de gás. Suplementarmente a REN passou a integrar, no final do ano de 2013, a small team de auditoria da ENTSO-G, tendo
ainda nomeado correspondentes para a representação da empresa em todas as áreas de negócio e grupos de trabalho desta associação.

Também no seguimento do trabalho desenvolvido na ENTSO-G, a REN, em paralelo, deu continuidade à divulgação dos códigos de rede de gás junto dos diversos stakeholders nacionais e regionais, dinamizando e organizando sessões de trabalho e workshops destinados à divulgação e esclarecimento do conteúdo dos códigos que se encontram na fase final da sua redação. Refira-se que, em 2013, a REN organizou sessões sobre os seguintes códigos de rede: Interoperabilidade (NC INT), Mecanismos de Atribuição de Capacidade (CAM NC) e Balanço/compensação do equilíbrio das redes de transporte de gás (BAL NC).

Grupos de trabalho presididos pela comissão europeia
No quadro da proposta legislativa sobre as linhas para a implementação das infraestruturasenergéticas europeia prioritárias, a REN prosseguiu com a sua participação ativa nos Western Europe Electricity Working Group e Western Europe Gas Working Group, ambos presididos pela Comissão Europeia, destinados à implementação ad-hoc e informal da referida proposta legislativa e à identificação e seleção de projetos de infraestruturas energéticas de interesse comum (PCI). Em resultado desta participação a REN integrou quatro projetos – dois em cluster de reforço de ligações internas e outros dois de interligações de gás e eletricidade –, a que correspondem três PCI que constam da lista final destes projetos de interesse comum aprovada por via legislativa da União Europeia.

Med-tso , Medgrid e Friends of the Supergrid
No ano de 2013 a REN reforçou a sua participação na Med-TSO, tendo integrado um seu elemento no Supervisory Team desta associação de operadores da rede de transporte de eletricidade do mediterrâneo, da qual é membro fundador. Neste contexto assegurou sempre a sua representação no Regional Group West desta associação. Igualmente, participou ativamente na elaboração do master plan desta região, que primeiramente se destina a planear o reforço da segurança e integração dos sistemas elétricos do Mediterrâneo. 

Neste mesmo ano, a REN deu continuidade e reforçou a sua participação na MedGrid, para cujo Conselho de Orientação nomeou um seu elemento que assim é também Vice-Presidente desta sociedade. Mais ainda integrou também dois elementos em grupos de trabalho desta sociedade: um no grupo de trabalho de análise económica e outro no grupo de trabalho de planeamento de redes, que respetivamente irão elaborar o estudo económico e o planeamento de rede necessários à integração dos referidos sistemas elétricos do Mediterrâneo. A REN participou também na conferência anual da mesma sociedade, cujo tema foi, European Union / Union for the Mediterranean: common sustainable energy future.

A MedGrid associa empresas de geração, transporte, distribuição e financiamento de infraestruturas elétricas da região do Mediterrâneo com o objetivo de promover o desenvolvimento das interligações entre o Norte, o Sul e o Este desta região. 

Por fim, a REN deu também continuidade à sua participação na Friends of the Supergrid (FOSG), intervindo ativamente nos working groups desta associação responsáveis pela comunicação e pelas relações institucionais e regulatórias. Participou também na conferência anual da mesma, cujo tema foi, No transition without transmission, que abordou diversos temas relativos a uma maior integração de renováveis na UE e na qual a realidade do método de avaliação ambiental estratégica esteve também em foco por intermédio de um orador proposto pela REN. 

A FOSG consiste numa associação de empresas e organizações que têm um interesse mútuo em promover e influenciar a política e o enquadramento regulatório necessário à interligação europeia em grande escala – a Supergrid. Esta associação procura prosseguir a promoção, desenvolvimento e realização da Supergrid através da associação de empresas de setores que desenvolvem as infraestruturas HVDC e tecnologia relacionadas, conjuntamente com empresas que irão desenvolver, instalar, deter e operar essas infraestruturas.

Conselho de Cooperação Económica (cce), gie (gas Infrastructure Europe) e Florence School of Regulation (fsr ):
A REN tem prosseguido a sua participação no CCE, nomeadamente intervindo nas diversas reuniões deste conselho e fornecendo múltiplas contribuições ao trabalho por este desenvolvido, concretamente na área da energia, da competitividade, das grandes infraestruturas críticas e do financiamento de longo prazo.

O CCE é uma organização sem fins lucrativos que age como conselho consultivo junto das instituições europeias com o alto patrocínio dos governos dos quatro países do Arco Latino (Espanha, França, Itália e Portugal).

Quanto ao GIE, a REN tem continuado a participar e acompanhar as atividades desta entidade, tendo também participado na sua conferência anual, que versou sobre a integração do mercado energético europeu e o financiamento das infraestruturas do transporte de gás, entre outros assuntos. 

O GIE é uma associação representativa das empresas de infraestruturas de gás europeias junto das instituições europeias e de outros stakeholders.

No âmbito dos open days of the regions de 2013, a REN, em parceria com a rede elétrica de Espanha, promoveu em Bruxelas, um workshop com o objetivo de demonstrar o papel relevante de Portugal e Espanha nas energias renováveis e nos objetivos europeus para 2020. 

Sob o tema Iberian Peninsula: A Platform to Successfully Generate, Integrate and Deliver Renewable Energy for Europe, este evento destinou-se a explorar uma linha de estratégica energética essencial para o desenvolvimento económico das economias do Sul da Europa e contou com a presença de representantes institucionais das políticas da EU, entidades regionais e autarquias, universidades e centros de investigação, consultoras, entre outros.

Por fim, a REN, enquanto associate donor da FSR, tem continuado a frequentar (por via presencial e em webinars) as variadas formações promovidas por esta escola de alto nível, cooperando com a instituição e patrocinando eventos nos quais também participa, acedendo aos estudos e informação de alto nível por esta produzida, como aconteceu na conferência anual da FSR sobre o tema EU Energy & Climate Policy: where do we go from here?.

A REN tem, assim, continuado a reforçar a sua presença nos mais variados forúns internacionais dos setores elétrico e do gás natural, participando na definição das políticas que os enquadram, em estudos de caráter técnico e no lobby das diversas entidades que aqui promovem as suas atividades, sendo esta presença uma das componentes que dá seguimento ao desígnio estratégico de internacionalização da empresa.