Durante o ano de 2014, a ERSE irá definir o modelo regulatório para a transmissão de eletricidade a vigorar no próximo ciclo plurianual. A REN já iniciou o habitual diálogo com a ERSE no sentido de assegurar que a nova regulação se mantém estável, equilibrada e contendo os adequados incentivos à eficiência.

A situação económica portuguesa tem dado sinais de alguma recuperação, acompanhando um movimento comum ao conjunto da zona euro. Sinal dessa recuperação é a evolução do consumo nacional de eletricidade, que a partir de maio de 2013 começou a dar ténues sinais de crescimento, que têm vindo a acentuar-se de mês para mês.

Em paralelo com os sinais de que o ponto mais baixo da recessão económica tinha ficado para trás, os mercados financeiros começaram a recuperar confiança em Portugal, assistindo-se a uma pronunciada descida dos prémios de risco da República e das nossas principais empresas. A REN irá beneficiar fortemente da redução do custo médio da sua dívida em 2014, tanto mais quanto os empréstimos obrigacionistas mais caros foram já reembolsados em 2013. Bastante desafiante será a minimização do eventual impacto da contribuição extraordinária sobre o setor da energia prevista no Orçamento de Estado de 2014, que será feita através de esforços adicionais de aumento da eficiência operacional.

Em 2014 a empresa irá manter sem abrandamento o seu esforço contínuo de aumento da eficiência operacional, completando o aligeiramento da sua organização interna, que deu frutos visíveis nos dois últimos anos. Naturalmente que esse esforço irá coexistir com a manutenção dos padrões de excelência na qualidade do serviço que os consumidores esperam e merecem. Exemplo dessa qualidade é a forma impecável como as redes da REN se comportaram durante o temporal de 9 de fevereiro deste ano.

Para lá da otimização das concessões em Portugal, prossegue o esforço de internacionalização e desenvolvimento de novos negócios iniciado em 2012, o qual já contribuiu, ainda que de uma forma modesta, para o resultado de 2013 através do dividendo recebido da HCB em Moçambique.

A equipa da REN está motivada para os novos desafios que o futuro apresenta, e a gestão continuará a investir fortemente no treino e formação das pessoas, que se mantem como aposta prioritária.