Projetos concluídos em 2013

Os projetos concluídos em 2013 na Rede Nacional de Transporte de Energia Eléctrica contribuíram para o reforço da capacidade de receção de energia, nomeadamente da proveniente de fontes renováveis, para a melhoria das capacidades de troca internacionais com Espanha e para o reforço das condições de alimentação às redes de distribuição, bem como para a segurança e fiabilidade de funcionamento global do sistema.

Na região de Trás-os-Montes, para melhoria de alimentação aos consumos e escoamento da produção injetada na rede nesta zona, entrou em serviço a nova ligação entre as subestações de Valpaços e Vila Pouca de Aguiar, concluindo o fecho da malha a 220 kV do eixo transmontano entre Lagoaça e Valdigem.

No eixo do Douro e zona do Porto salientam-se as ligações a 400 kV Armamar-Recarei e Recarei-Vermoim, a par da introdução do nível de 400 kV na subestação de Vermoim, reforçando a segurança e fiabilidade de alimentação aos consumos do Grande Porto e melhorando a capacidade de interligação. Ainda na zona do Porto, ficou concluída e foi colocada em serviço

A remodelação para 220 kV da instalação da Siderurgia da Maia, bem como o ramal que
a alimenta.

Na região litoral a sul do Grande Porto entrou em serviço a nova subestação 400/60 kV da Feira, alimentando consumos nos concelhos de São João da Madeira, Feira e Arouca.
Na Beira Interior foi colocada em serviço a segunda ligação a 150 kV entre as subestações de Falagueira e Castelo Branco, permitindo refroçar nesta região interior a capacidade de receção de energias renováveis e a segurança global de operação da rede.

Na zona de Lisboa, para melhor garantia na alimentação aos consumos, destaca-se a construção do novo circuito subterrêneo a 220 kV entre as subestaões de Alto de Mira e Sete Rios. Também para melhoria de alimentação aos consumos, foi concluída, na Península de Setúbal, a introdução do nível de 400 kV na subestação de Fernão Ferro.

Foram colocados em serviço sete novos transformadores, tendo a potência de transformção instalada aumentado em 1.069 MVA (dos quais 320 MVA na subestação Siderurgia da Maia).

Principais investimentos em curso

Reforço da capacidade de interligação entre Portugal e Espanha

  • Para reforço das capacidades de troca entre Portugal e Espanha, encontra-se previsto, no Minho, uma nova interligação a 400 kV, ligando as futuras instalaçães de Viana do Castelo, do lado português, e de Fontefria, do lado espanhol.

Ligação à RNT de produtores regime especial (exceto a grande hídrica)

  • Reforços de transformação em diversas subestações

Ligação à RNT de grandes centros produtores

  • Colocação em serviço de um novo posto de corte a 400 kV em Vieira do Minho e implementação de duas ligações, também a 400 kV, entre este ponto e a subestação de Pedralva, para ligação dos reforços de potência dos centros eletroprodutores hídricos de Venda Nova (Venda Nova III) e Salamonde (Salamonde II)
  • Construção de um novo eixo a 400 kV entre a região do Porto e a zona de Viana do Castelo, infletindo para nascente até à subestação de Pedralva. Este eixo, para além de se revelar importante para assegurar o escoamento dos elevados montantes de nova geração hídrica a instalar no Cávado/Alto Minho, possibilitará também facilitar as trocas internacionais ao fazer parte integrante da nova interligação com Espanha nesta zona. Simultaneamente, potencia o reforço da segurança de abastecimento aos consumos no litoral minhoto, a partir da nova subestação da RNT de Vila Nova de Famalicão, inserida neste eixo.
  • Na zona Centro, para ligação da nova central hidroelétrica de Girabolhos, está prevista a construção de uma nova linha a 400 kV entre a subestação de Penela e a zona de Seia.

Alimentação às redes de distribuição para melhorar a alimentação de grandes pólos de consumo

  • No Minho, abertura de subestação 150/60 kV na zona de Fafe, servindo igualmente os concelhos limítrofes de Guimarães, Vizela e Felgueiras
  • Na cidade de Lisboa, abertura da subestação 220/60 kV do Alto de São João, alimentada através de dois circuitos subterrâneos, oriundos um de Sacavém e o outro de Fanhões (Prior Velho)
  • Na Península de Setúbal, conclusão da segunda linha a 150 kV entre as subestações de Fernão Ferro e Trafaria
  • No Alentejo, construção da nova linha a 400 kV entre Estremoz e Divor