Economia mundial1

A recuperação da economia global continuou a desacelerar em 2013, esperando-se um crescimento da atividade económica de +2,8% (vs. +3,1% em 2012 e +3,9% em 2011).
Esta desaceleração é sentida tanto nas economias desenvolvidas (+1,1% em 2013 vs + 1,4% em 2012) como nas economias emergentes e em desenvolvimento (+4,5% em 2013 vs + 4,9% em 2012).

Focando a análise nas economias desenvolvidas, de referir as melhorias sentidas na União Europeia (crescimento nulo em 2013), após uma contração do produto em 2012 (-0,4%). Para este desempenho contribui de forma decisiva a estabilização da Zona Euro, que saiu da mais longa recessão da sua história, e do bom desempenho de outros países da UE (como o Reino Unido, com um crescimento de +1,3% em 2013; +0,1% em 2012. O Japão deverá apresentar um crescimento semelhante a 2012 (+2,1% em 2013 vs +2,0% em 2012), enquanto nos Estados Unidos a incerteza política e a implementação de medidas de consolidação fiscal contribuíram para a redução do crescimento do PIB de +2,8% em 2012 para +1,6% em 2013.

As economias emergentes continuam igualmente a desacelerar, resultado dos desafios estruturais sentidos em muitas das principais economias deste grupo, como a transição em curso na China de um modelo económico baseado no investimento para um modelo baseado no consumo, ou a dependência da Rússia em matérias-primas. Olhando para as principais regiões, espera-se, em 2013, um crescimento na China de +7,5%, na África subsariana de +5,0% e na Índia de +2,9%. Já a América Latina (+2,6%) e a Rússia (+1,9%) deverão crescer abaixo
da média mundial.

 

1 Comissaão Europeia: European Economic Forecast, Autumn 2013

Zona Euro2

Após uma contração do PIB de -0,7% em 2012, a Zona Euro deverá contrair apenas -0,4% durante 2013. Para esta melhoria destaca-se a diminuição da incerteza em torno do futuro da Zona Euro, e o menor ritmo de consolidação orçamental nos vários países da moeda única. Como resultado, a quebra do consumo privado reduz-se a metade (-0,7% em 2013 vs -1,4% em 2012), o consumo público estabiliza em 2013 (após redução -0,5% em 2012) e as exportações líquidas continuam a contribuir positivamente para o crescimento (contribuição positiva de 0,6% em 2013). Pela negativa, é de referir o novo aumento do desemprego (de 11,4% em 2012 para 12,2% em 2013).

2 Comissão Europeia: European Economic Forecast, Autumn 2013 – Euro Zone

Taxas de Juro3 4

Durante o ano de 2013, o BCE desceu por duas vezes a sua taxa de referência, de 0,75% para 0,25%, enquanto a Reserva Federal dos Estados Unidos manteve a Fed Funds Target Rate no intervalo entre 0% e 0,25%. Adicionalmente à descida da taxa de referência, a diminuição da incerteza em torno da continuidade da moeda única manteve as taxas Euribor a níveis reduzidos. Assim, a 31 de dezembro de 2013, as taxas Euribor para os prazos de 3, 6 e 12 meses eram de 0,287% (que compara com 0,187% no final de 2012), 0,389% (vs. 0,320%) e 0,556% (vs. 0,542%).

3 Taxas de Referência: ECB e FED (www.ecb.int; www.federalreserve.gov)
4 Banco de Portugal: Valores Euribor

Economia Nacional5 6

O ano de 2013 é marcado por uma recuperação do crescimento do PIB em termos homólogos e pelo fim da recessão no terceiro trimestre. Como resultado da recuperação da atividade ao longo de 2013, espera-se uma contração do PIB no final do ano de -1,5% (-3,2% em 2012). Esta evolução resulta das menores quebras do consumo privado (-2,0% em 2013, vs -5,4% em 2012), do consumo público (-1,5% em 2013, vs -4,8% em 2012) e do investimento (-8,4% em 2013, vs - 14,3% em 2012). É de destacar o bom comportamento das exportações (+5,9%), superior ao crescimento das importações (+2,7%). Olhando para as contribuições para a variação do PIB em 2013, a procura interna deverá contribuir com -2,7% e as exportações líquidas com +1,1%, configurando-se, à semelhança de 2012, como a única contribuição positiva para a economia portuguesa. Por fim, de referir que embora as metas do défice público devam ser cumpridas, a dívida pública continua numa trajetória ascendente, devendo atingir os 127,8% do PIB em 2013 (face a 124,1% em 2012).

5 Banco de Portugal: Boletim Económico Inverno 2013
6 Comissão Europeia: European Economic Forecast, Autumn 2013 – Portugal